Justiça do Rio de Janeiro cria novas varas especializadas em milícias e grupos paramilitares

Escrito por   em 05/09/2022

De 2020 até agora, cerca de 1,5 mil militares já foram detidos na cidade do Rio de Janeiro por envolvimento com milícias

A Justiça do Estado do Rio de Janeiro vai inaugurar na próxima segunda-feira, 5, duas varas especializadas em organizações criminosas, que vão ser responsáveis por julgar crimes previstos na lei de organização criminosa, na lei de lavagem de bens e também no artigo 288A do Código Penal, que trata de milícias e paramilitares. A primeira vara especializada na questão foi inaugurada em setembro de 2019 e conta, atualmente, com cerca de 1 mil processos, dos quais 225 são sigilosos, e distribui mensalmente 200 ações, mais que o dobro de varas criminais comuns. As milícias tem avançado vertiginosamente no Rio de Janeiro. Neste momento, inclusive, dois grupos estão em conflito: o grupo de Danilo Lima, o Tandena, e o grupo de Luiz Antônio da Silva Braga, o Zinho. Ambos tentam avançar em território, indo além da capital fluminense, região metropolitana, Baixada Fluminense e até o interior do Estado. Ações permanentes da polícia do Rio de Janeiro vêm sendo realizadas para combater o avanço das milícias e tentar asfixiar financeiramente esses grupos paramilitares. Uma força tarefa foi montada em meio à pandemia da Covid-19. De lá para cá, cerca de 1,5 mil militares já foram detidos na cidade do Rio de Janeiro.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

Deixe seu comentário:

faixa atual

Título

Artista

pt_BRPortuguese
Iniciar Conversa
Oi, posso ajudar?
Olá! Obrigado por ouvir a Rádio Graça e Paz, qualquer coisa é só chamar!