RJ teve mais de 600 registros de ‘stalking’ contra mulheres em um ano, diz ISP

Escrito por   em 08/03/2023

Governo do Estado apresenta dados de violência contra a mulher — Foto: Luis Alvarenga/Divulgação

O Governo do RJ apresentou nesta quarta-feira (8) os dados da 17ª edição do Dossiê Mulher, que reúne informações sobre crimes contra mulheres no estado. Pela primeira vez, constam no documento informações sobre os crimes de stalking (ato de perseguir alguém incessantemente, independente do meio utilizado) e de violência psicológica, além de femínicidio e violência sexual, que já estavam presentes em outras edições.

Só no ano de 2021, recorte analisado pelo dossiê atual, 604 mulheres foram vítimas de perseguição, sendo que 90% dos casos foram praticados por companheiros ou ex-companheiros das vítimas e cerca de 60% das ocorrências aconteceram dentro de casa.

O Dossiê também destaca que a cada cinco minutos uma mulher foi vítima de algum tipo de violência no Estado. Além disso, mais de 18 mil registros de ocorrência relataram mais de uma forma de violência sofrida pela vítima, sendo ela ocasional, constante e até simultânea.

A diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz, destacou a importância de o stalking e a violência psicológica terem passado a ser considerados crimes a partir de 2021, ano do levantamento divulgado hoje.

Também durante a apresentação do Dossiê Mulher foi firmado um acordo de parceria técnica entre os dois órgãos do Governo do Estado. A parceria reforça o trabalho em conjunto das pastas, na atuação de políticas públicas eficazes no enfrentamento à violência contra as mulheres.

“O trabalho em conjunto com o ISP enfatiza a nossa responsabilidade na produção e aprimoramento de dados e indicadores de gênero. Queremos construir evidências para a qualificação de uma agenda pública eficaz sobre a temática no nosso Estado”, explicou Heloisa Aguiar, secretária de Estado da Mulher.

Deixe seu comentário:

faixa atual

Título

Artista

pt_BRPortuguese
Iniciar Conversa
Oi, posso ajudar?
Olá! Obrigado por ouvir a Rádio Graça e Paz, qualquer coisa é só chamar!